login


Cadastre-se aqui
senha
 

Esqueceu sua senha?

Home
Controle de qualidade
Curriculum do diretor
Publicações científicas
Artigos
Genetika na mídia
Localização
Contato
Exames oferecidos
Solicitação de exames
Planos de Saúde
Aconselhamento
Teste de Paternidade
Banco de DNA
Pesquisa genética
Cadastre-se
Sugestão/reclamação
Cadastre seu curriculum
ROL ANS 2016
CBHPM
Galeria de Fotos
Projeto Genoma
CID Doenças genéticas
Associações de apoio
Login



  .: Teste de Paternidade e Maternidade em DNA

Em quais situações devem-se tomar precauções extras antes ou após a realização do teste em DNA?

Casos de transfusão sangüínea nos últimos 90 dias antes da coleta de sangue ou transplante de medula óssea merecem uma precaução especial. Ambas as situações precisam ser sempre questionadas nas declarações padronizadas que devem ser fornecidas pelo laboratório que fará a coleta, devendo ser preenchidas pelas partes neste ato. Porém, caso haja omissão nesta informação, o exame de DNA detectará a presença do componente genético de dois indivíduos em uma única amostra (doador e receptor), indicando que o teste deve ser repetido com nova coleta. Quando alguma parte suspeitar que alguma destas duas situações possa estar ocorrendo, basta solicitar que na coleta, além do sangue, seja também coletado amostra da mucosa oral (saliva), ou raízes de cabelos, que contêm o DNA "original" da pessoa. Como última alternativa, caso esta suspeita seja posterior à coleta, basta solicitar uma contraprova com este tipo de material. Mas é importante ressaltar que tais situações nunca vão gerar um resultado final errado, mas sim a necessidade de re-coleta do material biológico para novo exame.

[ Voltar ]